Buscar
Youtube Instagram

Notícias

29.11.2017 - 17:31

Nota de Repúdio

A ACP repudia a postura antidemocrática, covarde e truculenta dos poderes Legislativo e Executivo de Mato Grosso do Sul, diante dos servidores públicos que manifestavam-se contra a Reforma da Previdência na Assembleia Legislativa de MS, na terça-feira (28/11)
|
Compartilhe:

A ACP – Sindicato Campo-grandense dos Profissionais da Educação Pública repudia a postura antidemocrática, covarde e truculenta dos poderes Legislativo e Executivo de Mato Grosso do Sul, diante dos servidores públicos que manifestavam-se contra a Reforma da Previdência na Assembleia Legislativa de MS, na terça-feira (28/11).

Em total demonstração de desprezo à liberdade de manifestação e ao Estado democrático, as autoridades de MS sitiaram a Casa Legislativa, usaram excessiva força policial contra trabalhadores que estavam munidos apenas com o vigor dos que lutam para defender seus direitos.

Atacar professores e demais servidores públicos com gás de pimenta, cavalaria, cassetetes e cachorros é, no mínino, desrespeitoso. Tal atitude evidencia o DNA opressor do partido que ocupa, hoje, o governo do Estado de MS. Não se pode dizer que essa foi uma ação isolada. Em 2016, o governador do Paraná, correligionário de Reinaldo Azambuja, promoveu uma caça-às-bruxas, num cenário de guerra e barbárie contra os professores do referido estado.

Este é o perfil do atual governo de MS: antidemocrático, destruidor de direitos, sem compromisso com os trabalhadores, usurpador da previdência que é patrimônio dos servidores públicos.

Sob gritos de protesto de milhares de servidores estaduais, diante do apelo da comissão do Fórum dos Servidores de MS que, munida de números e avaliações do Conprev MS e outras fontes, reivindicava o arquivamento do Projeto e a abertura do diálogo com as categorias, ainda assim os deputados Estaduais aprovaram, por 13 votos a 7, a Reforma da Previdência.

A ACP, juntamente com as demais categorias de servidores públicos, se manterá firme contra a retirada de direitos. Nossa luta não para!


Tag3 - Desenvolvimento Digital