Buscar
Youtube Instagram

Notícias

23.12.2017 - 10:31

ACP encerra 2017 com importantes conquistas para os profissionais da educação

A soma dos esforços da diretoria e da base da categoria, seja na Rede Municipal ou Estadual de Ensino, a ACP enfrentou os desmandos de governos, as arbitrariedades de leis propostas nas Casas Legislativas e, ainda dialogou e buscou conquistas importantes para a educação pública de Campo Grande e MS
|
Compartilhe:

2017 foi um ano de muitos ataques e desafios para os trabalhadores brasileiros. Em Campo Grande, a ACP se manteve firme na luta em defesa dos direitos trabalhistas e em busca de melhorias para os profissionais da educação pública.

A soma dos esforços da diretoria e da base da categoria, seja na Rede Municipal ou Estadual de Ensino, a ACP enfrentou os desmandos de governos, as arbitrariedades de leis propostas nas Casas Legislativas e, ainda dialogou e buscou conquistas importantes para a educação pública de Campo Grande e Mato Grosso do Sul.

Nos últimos momentos do ano, a luta incessante do sindicato consolidou direitos fundamentais das carreiras do magistério. Na Rede Estadual a luta sindical garantiu a publicação do concurso de remoção; do cadastro de reserva para professores temporários e para educação especial; processo seletivo para Escola de Tempo Integral, e, aguarda-se, conforme foi prometido pelo governo, a publicação das promoções funcionais, que deve acontecer em janeiro. Além, principalmente, da conquista da correção do Piso 20h (7,64%), faltando os 4,7% que vai ser aplicado agora em dezembro. “Em 2018, nós vamos cobrar ainda, através da nossa Federação, a abertura de concurso para o magistério, tendo em vista a expressiva quantidade de professores convocados. Por isso é tão importante a realização de concurso, para suprir essa demanda”, pontua o presidente da ACP, Lucílio Souza Nobre.

Na REME, houve avanços ligados ao cumprimento do Piso 20h (está faltando apenas a aplicação dos 5,77% em dezembro), também a abertura do cadastro reserva para professores temporários, concurso de remoção, e processo seletivo para professor coordenador, entre outros.

“Graças ao diálogo que mantemos com o Poder Executivo, todas as pautas acordadas entre a categoria e a prefeitura estão sendo cumpridas pelo gestor público. Isso demonstra a efetividade do compromisso da direção da ACP com os anseios da categoria. Em momentos de extremos ataques aos trabalhadores, só essa união e sintonia entre os trabalhadores e suas direções sindicais são capazes de defender nossos direitos e pleitear qualquer avanço”, analisa Nobre.

Desafios futuros

No dia 21 de dezembro, última sessão do ano da Câmara Municipal de Vereadores, a ACP se fez presente, acompanhando a aprovação da criação de mil cargos para efetuar a chamada dos aprovados em concurso do magistério.

“Assim como foi durante todo o ano de 2017, nós cobramos até o último minuto, as melhorias para a educação. Da mesma maneira iniciaremos 2018: na luta em defesa da educação e dos educadores”, afirma a vice-presidente da ACP, Zélia Aguair.

2018, de fato, reserva grandes desafios para os professores campo-grandenses e todos os trabalhadores brasileiros, permeando os Legislativos Nacional, Estaduais e Municipais. Impedir a Reforma da Previdência será a grande a missão do movimento sindical e de toda a sociedade, para garantir o direito a uma aposentadoria digna a todos os trabalhadores brasileiros.

Não se pode ignorar ainda, que 2018 será um ano de eleições estaduais e federais. “O atual cenário demonstra que o país vive uma crise de representatividade, onde os políticos eleitos pelo povo viram as costas para os interesses da população, especialmente, dos trabalhadores, dos menos favorecidos e das minorias, no momento em que a atuação desses agentes públicos seria de grande relevância para a manutenção e conquista dos direitos sociais. Precisamos, urgentemente, discutir política sim, rever nossos conceitos, e eleger políticos que, verdadeiramente nos representem”, avalia Nobre.

Na REME, uma importante bandeira de luta dos trabalhadores espera a aprovação da Câmara Municipal: a eleição direta para direção das unidades escolares. O projeto de lei já foi encaminhado pelo Executivo e, agora, aguarda o parecer das comissões especiais e votação em plenário no Legislativo.

“Assim que terminar o recesso, estaremos dioturnamente na Câmara. Nós cobraremos a aprovação urgente dessa matéria. Para que logo no início do ano letivo tenhamos a gestão democrática efetivamente implantada na REME, com o processo de eleição realizado. Essa é uma conquista histórica da categoria, pois transfere a responsabilidade da escolha do gestor para a comunidade escolar, cumprindo a meta 19 dos PNE / PME. Além do compromisso firmado pelo Prefeito Marcos Trad com o sindicato”, pontua o presidente da ACP.

“A diretoria da ACP fecha o ano não da maneira que gostaríamos, porque ainda estamos lutando pelo Piso 20h, mas na certeza de que temos buscado, incansavelmente, conquistas e, principalmente, a manutenção de nossos direitos. Entendemos que essa luta da direção e de toda a categoria é fundamental para que tenhamos dias melhores. Seja no ano que se encerra, seja em 2018, nunca nos esquecemos que nossa luta não para!”, conclui Lucílio Nobre.


Tag3 - Desenvolvimento Digital