Buscar
Youtube Instagram

Notícias

27.04.2018 - 14:52

1º de Maio – Um dia para celebrar as lutas dos(as) trabalhadores(as)

Mais do que um simples feriado no calendário anual, o dia 1º de Maio carrega a história do movimento sindical. Em uma época de fortes ataques aos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras brasileiros que estamos vivendo, temos que reforçar a importância das lutas da classe trabalhadora, ao longo da história contemporânea da humanidade
|
Compartilhe:

Mais do que um simples feriado no calendário anual, o dia 1º de Maio carrega a história do movimento sindical. Em uma época de fortes ataques aos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras brasileiros que estamos vivendo, temos que reforçar a importância das lutas da classe trabalhadora, ao longo da história contemporânea da humanidade.

Foi num dia 1º de Maio, em 1886, que cerca de 500 mil trabalhadores(as) protestaram nas ruas de Chicago, nos Estados Unidos, reivindicando a redução da jornada de trabalho para 8 horas diárias. Nos dias seguintes da greve geral, manifestantes morreram em ações de repressão da polícia local. Esse dia de luta foi lembrado nos próximos anos do fim do século 19 pelas ligas socialistas da Europa, que passaram a convocar suas manifestações anuais contra a situação degradante de trabalho para todo dia 1º de maio. As manifestações correram o mundo e avançaram pelo século 20. Os trabalhadores do Brasil também se organizaram em seus sindicatos, fazendo protestos, greves gerais e lutando por direitos e dignidade.

A ACP nasce, em 18 de maio de 1952, da organização dos professores de Campo Grande para lutar em busca de direitos e defesa da educação pública. Em torno do seu sindicato, os trabalhadores da educação reuniram seus anseios e forças, e sua luta construiu a carreira do magistério público. Protestos, atos e greves históricas como a dos professores da REME, em 2015, precisam ser lembrados, revividos e compreendidos em seu caráter de resistência e representação da classe.

Com muita luta, união e resistência a classe trabalhadora avançou na conquista de direitos. Mas a luta nunca cessa e, mesmo evoluindo em tecnologias, conhecimento e habilidades, o sistema de exploração dos trabalhadores ainda é a lógica de lucro, em pleno século 21, sempre retroalimentada pelas cíclicas crises do capitalismo. As ferramentas de repressão ganharam novas faces e, hoje, a manipulação da informação é a principal arma de poder contra os trabalhadores.

As ameaças são grandes e o foco, agora, é acabar com os direitos tão duramente conquistados pela classe trabalhadora, basta ver as terríveis mudanças promovidas pela recente Reforma Trabalhista em vigor no Brasil: ampliação da jornada de trabalho, enfraquecimento dos sindicatos como forma de defesa e resistência dos trabalhadores, precarização do trabalho com a terceirização e demais medidas que pioram a realidade do trabalho.

Precisamos reconhecer nosso papel como trabalhadores e trabalhadoras, celebrar as lutas e conquistas, reagir aos golpes contra nossa classe. Estejamos atentos(as), unidos(as) e fortes! Viva 1º de Maio e as lutas dos(as) trabalhadores(as)!

ACP - 66 anos de lutas e conquistas. Desde 1952, nossa luta não para!

A diretoria.



Tag3 - Desenvolvimento Digital